Neste artigo iremos ver a diferença entre os cabos VGA, RCA, DVI, Display Port, HDMI e Thunderbolt.

Existem milhares de aparelhos “lá fora”, e de aparelho para aparelho o conector varia. Mas quais são as diferenças entre todos eles? Quais são os mais importantes?

Neste artigo, vamos explorar os tipos de cabos mais frequentes dos dias de hoje e qual o uso de cada.

VGA

O VGA (Video Graphics Array) é um dos cabos, referidos neste artigo, mais antigos, mas ainda é possível encontrar este cabo em algumas lojas de informática ou relacionadas com imagem (por exemplo). Este foi desenvolvido pela IBM e introduzido em 1987, sendo amplamente utilizado para placas de vídeo, televisões, monitores de computador e laptops.

O VGA pode suportar resoluções até 640×480 em 16 cores, embora seja possível aumentar as cores para 256, diminuindo a resolução para 320×200, conhecido como “Modo 13h” e utilizado quando iniciamos o computador no modo de segurança. Foi também usado em jogos de computador por volta do final de 1980 e início de 1990.

O cabo VGA pode transportar sinais de vídeo RGBHV, que são os sinais: vermelho, verde, azul, sincronização horizontal e vertical. A tomada VGA é composta por 15 pinos em três filas de cinco pinos e, normalmente, de cor azul. A tomada do cabo está firmemente conectado ao dispositivo usando dois parafusos, um de cada lado da entrada.

Nos dias de hoje é raramente utilizado, sendo ainda encontrada em computadores com hardware mais antigo, tendo sido em grande parte substituído pelo DVI e HDMI.

RCA

O antigo conector RCA constituído por três pinos: vermelho, branco e amarelo, foi um dos cabos mais populares para aparelhos audiovisuais, sendo muito conhecido por quem possui televisões mais antigas.

Muitas vezes referidos como cabos de RCA, na verdade, refere-se aos conectores de metal no final dos cabos. O nome é referente a uma homenagem à Corporação de Rádio da América, que popularizou este tipo de conexão.

Os cabos vermelho e branco são para o áudio, ficando o amarelo para o vídeo, sendo este composto por um canal único. Os três cabos juntos são capazes de transmitir áudio juntamente com vídeo até 480i ou 576i resolução – onde o i refere-se ao vídeo entrelaçado (em inglês: vídeo interlaced).

DVI

Demorou cerca de uma década depois da IBM introduzir o VGA, para a “Digital Display Working Group” lançar o DVI, em 1999. O DVI (Digital Visual Interface), pode transmitir vídeo não comprimido de três modos diferentes:

  • DVI-I  (Integrado): combina analógico e digital no mesmo conector;
  • DVI-D (Digital): suporta apenas sinais digitais;
  • DVI-A (Analógico): suporta apenas analógico.

DVI-I e DVI-D pode vir em variedades simples ou de dupla ligação. O primeiro pode suportar 1920×1200 a 60 Hz, enquanto que no segundo a resolução pode aumentar para 2560×1600 a 60 Hz.

A fim de evitar a obsolescência forçada de dispositivos VGA, o DVI foi desenvolvido de forma a suportar conexões analógicas usando o adaptador DVI-A.

HDMI

O HDMI (High Definition Media Input) é uma interface digital de áudio e vídeo, este que foi um grande sucesso. O HDMI foi criado por um grupo de fabricantes de empresas, sendo elas a Sony, a Sanyo e a Toshiba, este cabo tem como funcionalidade transferir vídeo e áudio para monitores de computador, TVs digitais e DVD ou Blu-ray, mas estes terão que contar com sistema de som integrado.

A partir do HDMI 1.4, este passa a suportar 24-bit de áudio a 192 kHz e vídeo a resoluções até 4096 x 2160, mais conhecida como 4K ou Ultra HD. Como o HDMI usa os mesmos padrões de formato de vídeo que o DVI, os dois são compatíveis através de um adaptador. Uma vez que não é necessária nenhuma conversão de sinal, não há nenhuma perda de qualidade, no entanto, o DVI não suporta áudio.

Existem três conectores HDMI frequentemente usados, o Tipo A é a conexão HDMI de tamanho completo para uso em TVs e equipamentos de home theater, Mini-HDMI (Tipo C) é frequentemente usado em laptops e tablets, enquanto que o Micro-HDMI (Tipo D) é usado principalmente em aparelhos móveis.

DisplayPort

O DisplayPort é uma cabo de vídeo digital desenvolvido pela VESA (Video Electronics Standards Association). O DisplayPort pode transportar vídeo e áudio digital, tornando-se muito semelhante ao HDMI. A partir de DisplayPort 1.4, conta com suporte para resoluções até 8K (7680×4320) a 60 Hz, superando o HDMI 1.4.

No entanto, HDMI e o DisplayPort foram projetados para diferentes mercados. Enquanto o HDMI foi feito principalmente para entretenimento em casa, o DisplayPort foi projetado para conectar dispositivos como computadores a certos monitores. Devido à sua funcionalidade semelhante, é possível conectar dispositivos DisplayPort e HDMI em conjunto, utilizando um adaptador DisplayPort Dual-Mode.

O DisplayPort funciona utilizando a transmissão de dados em pacotes, que é frequentemente usado em conexões Ethernet e USB, é esta funcionalidade que o torna ideal para o uso no mundo dos computadores.

Thunderbolt

O Thunderbolt é uma interface usada para conectar periféricos ao computador. Foi originalmente desenvolvido pela Intel com o nome de Light Peak com cabos ópticos usados para transferência de dados. Após extensos testes, a Intel descobriu que poderiam torná-lo mais barato com cabos de cobre sem afetar o desempenho.

A Apple foi a primeira fabricante a trazer o Thunderbolt ao mercado nos modelos do MacBook Pro em 2011. Quando o Thunderbolt estreou, foi capaz de usar o conector MDP que a Apple tinha criado, ou seja, a nova conexão seria compatível com versões anteriores.

Uma das maiores vantagens do Thunderbolt sobre o DisplayPort é a alta velocidade de transferência de dados. Versões 1 e 2 do Thunderbolt conseguiam transferir a uma taxa de 20 GB/s usando o conector de MDP.  Já o Thunderbolt 3 aumenta para 40 GBs ao utilizar um conector USB do Tipo-C no lugar do MDP.

Se continuas confuso, a boa notícia é que o mundo está se movendo em direção a um padrão unificado. “HDMI Licensing” anunciou recentemente que, a fim de conectar a um dispositivo HDMI, tudo o que será preciso é um cabo USB Tipo C compatível com cabo HDMI que pode ser executado em “Modo Alt”.

Este é um dos maiores impulsos da indústria para simplificar os vários cabos existentes. A padronização é possível, como foi o caso de todos os carregadores de smartphones e telemóveis que existiam antes do padrão micro-USB. É mais ou menos isso que irá acontecer, só que desta vez a indústria está a investir no USB Tipo-C como o próximo “tudo-em-um” para áudio, vídeo, dados, entre outros.

A Apple tem a certeza deste futuro, que nesse ano eles lançaram um MacBook Pro que usará exclusivamente portas USB Tipo-C para todas as conexões. Embora isto leve ao seu tempo, o futuro está a começar a tomar forma, onde não serão necessários uma centena de cabos diferentes, mas sim apenas um cabo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreve o teu comentário!
Insere aqui o teu nome por favor